Cuidados com os Pneus

Em que posição devem ser montados os pneus novos?
 

O desgaste dos pneus é condicionado pelo modelo do veículo e pelo cuidado com a manutenção dos mesmos. Notadamente, a maioria dos veículos de passeio apresenta um desgaste maior dos pneus dianteiros, devido à predominância da tração dianteira e do maior peso no eixo dianteiro. Culturalmente, na troca de apenas dois dos quatro pneus, é comum o usuário instalar os pneus novos na frente. No entanto, os fabricantes do setor recomendam que os pneus novos sejam sempre colocados no eixo traseiro, via de regra. Tal recomendação visa a maior segurança do usuário, pelas razões que seguem:
 
1) O espaço de frenagem com pneu melhor na traseira é inferior ao espaço de frenagem com os pneus novos na dianteira.
 
2) Se o veículo, na curva, perder aderência nos pneus dianteiros, instintivamente o condutor tira o pé do acelerador e corrige a trajetória, retomando a aderência e controle mais facilmente; A perda de aderência neste caso se dá na primeira metade da curva.
 
3) Se o veículo, na curva, perder aderência nos pneus traseiros, o controle do veículo dependerá da sensibilidade e experiência do motorista, pois é muito mais difícil controlar o veículo nesta forma de desgoverno. Caso ocorra na curva, a aquaplanagem do eixo traseiro deve ser corrigida girando-se a direção no sentido contrário da curva (esta é a manobra oposta à instintiva - as auto-escolas brasileiras não têm condições de prestar este tipo de instruções aos condutores).
A perda de aderência neste caso, se dará na segunda metade da curva, restando poucos recursos ao motorista.
 
4) O temor de usar pneus usados na dianteira, devido ao medo de um estouro é infundado. A probabilidade de um estouro por defeito de fabricação ou desgaste do pneu é muito baixa. Se o pneu mais gasto estiver sem deformações ou bolhas, estruturalmente ele é similar ao pneu novo, ou seja, se algo conseguir explodir o pneu que está gasto (porém está estruturalmente intacto), certamente também explodirá o pneu novo. Pode-se concluir, portanto, que é mais seguro instalar os pneus novos nas rodas traseiras e, depois de atingida a meia-vida dos pneus (profundidade dos sulcos aproximada de 3,5 mm), deixar os mais gastos no eixo dianteiro. Ressalta-se, novamente, que se houver bolhas ou deformações, o pneu deve ser prontamente substituído, independentemente da profundidade dos seus sulcos e do eixo de instalação.

Além do mais, é mais fácil controlar um estouro de pneu na dianteira do que um estouro de pneu traseiro (pois o estouro traseiro não permite qualquer manobra e o motorista e torna passageiro).
 
- O ar sob pressão é essencial ao pneumático e influencia diretamente na segurança, aderência, estabilidade, resistência ao rolamento de roda ( consumo de combustível ), conforto ( flexibilidade e ruído ), desgaste e deterioração dos pneus ( quilometragem ).

Baixa Pressão
É com certeza um dos piores inimigos do pneu, ela acelera o desgaste dos pneus pois provoca um aquecimento dos mesmos, aumenta o desgaste nos ombros, deslocamento e deformações da carcaça.
Aumenta também o consumo de combustível, devido a resistência ao rolamento de roda, causa perda de estabilidade nas curvas provocando uma direção pesada e aumenta o ruído.

Alta Pressão
A alta pressão acelera o desgaste dos pneus no centro da rodagem, aumenta a propensão a estouros por impacto, cortes, provoca também maior facilidade de penetração porque a rodagem fica mais rígida, haverá uma perda de estabilidade nas curvas devido a uma menor área de contato e o pneu fica suscetível a rachaduras nos sulcos por esticamento excessivo e o veículo vai ficar mais duro devido a uma menor flexão.

Informações Adicionais
Deve-se portanto, usar sempre a pressão recomendada ( especificada ) pelo fabricante do veículo, observar sempre o manual do proprietário ou a tampa de combustível , pois lá estão descritas as pressões recomendadas.
Verificar a pressão e calibrar sempre os pneus frios, ou quando o veículo tiver rodado menos de 2 km, pois ao rodar mais que esta quilometragem provocará um aumento da pressão interna. Deve-se verificar a pressão dos pneus pelo menos uma vez por semana, ao viajar, calibre os pneus com duas ( 2 ) libras a mais em grandes distâncias, pois assim o pneu rodará mais refrigerado.

Rodizio dos Pneus
Com o objetivo de obter melhor uniformidade no jogo de pneus que equipam o veículo, é necessário que se faça rodízio dos pneus a cada 5.000 a 8.000 km, ou antes se for necessário.
Devido as condições de inclinação e desníveis da pista e mais a tração e resistência da rotação do rolamento de roda, os pneus também tendem a se desgastar mais acentuadamente em determinados pontos, de acordo com a posição em que estão montados.

 
Dica:
Rodízio é uma atitude preventiva contra o desgaste irregular, sendo que, a aplicação incorreta do rodízio causará um desgaste irreversível aos pneus.